Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

Pasarinho urbano

passarinho urbano
Saiu da gaiola
Sem querer
Ficou no muro
Perdido
Cantou diferente sem saber
Se era riso ou dor

Passarinho urbano
Nunca voou tão alto
Tem medo de mexer
E cair do outro lado

Como voar mais alto
E quem vai proteger
Dar comida
e cuidar

Passarinho urbano
É bicho amedrontado
Prefere voar aos poucos
E não come
E não bebe
E desfalece
Num último canto triste
Sem ninguém

Vai-te

Impossível
Acontecer
Algo a mais depois daqui
Eu sei você não é assim
Disfarça
Pra me ter conquistada
Sai agora
Não me olhe mais
Eu estou do avesso
Desde o ultimo amor
Não posso seduzir-me uma vez mais
Mal me esqueci do ultimo engano
Vai embora
Não me revire
Não fale ao meu ouvido
Diga mentiras
Assim eu sei
Que fugirei
Mas...
Na minha vista
Sou presa a ser capturada
Saia da minha vida
Ou serei prisioneira
De mais um amor perdido

mãe

Ser mae...Só quem é pode dizê-lo:
inexplicável sentimento de :cumplicidade,renúncia,amor,doação.
Ser mãe é experimentar o sentimento mais completo e possuir uma satisfaçao humana indescritível.
Ser mãe é dar ao filho tudo quanto é possível sem esperar nada em troca.
Ser mãe é incomodar-se pelo futuro do filho quando este não segue os conselhos.
Ser mãe é doer-se pela doença do filho ou vibrar por uma simples e natural conquista que ele possa ter.
Ser mãe é sim viver sempre pelo outro: o filho.
Feliz dia das mães.

promessa

sem planejar tropecei em você meus olhos enxergaram o seu coração isso só acontece uma vez meu bem, eu soube naquele instante nossos caminhos seriam apenas um no momento eu só te amo fico frágil sem você ao meu lado eu te quero você sabe sigo a vida preparando pra ter ao meu lado eu sei você será feliz

Sem tempo

corro sem pensar no tempo ele compactua a meu favor o vento feito brisa toca as folhas das copas as águas vão e vem num ritmo musical eu ando a esmo sem me importar pra onde vou escuto os sabiás ou bem-te-vis eu não sei as nuvens forma figuras românticas algumas eróticas o sol meio quente meio frio parece dançar enqunto o dia parece não se importar com o relógio

perfeito amor

eu me lembro das coisas boas de nossos momentos fantásticos você meu encaixe perfeito minha cara metade perfeito amor que encontrei por acaso é felicidade meu bem é felicidade

se vivo eu não sei

como boemia urbana me envolvo em mazelas de uma vida selvagem se vivo eu não sei resisto ao lixo consumista ando a pé toco o vento com as mãos eu sinto mas se vivo eu não sei o coração pulsa meu sangue puro lateja ao abrir novos caminhos junto a um corpo que não é meu sou revolucionária do amor aventuro devaneios mas se vivo eu não sei

internet

a face encoberta carece de traços não não é alguém sequer pode ter sombra as palavras fazem sentido não são só rabsicos a voz de vez em quando melódica parece saber tudo de mim e se esconde por trás de um vidro há quilômetros reais é só uma máquina não pode ser

somente mais

Imagem
Enquanto eu abrir os olhos
E acordar ao seu lado
Não terei medo da claridade do dia
Ou o aproximar da noite
Basta apenas um olhar
E eu me desmancho
Sentir sua ternura me dá prazer
Quando eu penso
Vou me fartar de sua presença
Vou te querer afastado amanha
Mais e mais eu te quero bem perto
Então
Me beije
Me enlouqueça
Falando indecências em meu ouvido
Eu gosto
Eu preciso
Sempre um pouco mais.